A FAXINEIRA QUE NÃO GOZOU
FÉRIAS

 

Uma mulher que trabalhara como faxineira em um prostíbulo da Rua Guaicurus foi dispensada e reclamou seus direitos na Justiça do Trabalho.

Quando o juiz propôs uma conciliação, o reclamado recusou a proposta.

O juiz ponderou:

- "Não aceita fazer um acordo? Ela trabalhou dois anos, não teve a carteira assinada, não teve fundo de garantia, não gozou..." (antes que dissesse a palavra férias, foi interrompido)

- O que é isso, doutor, eu trabalhava lá mas era faxineira, não era puta não!"

 

Ver mais JUSTIÇA COM HUMOR